quinta-feira, 13 de abril de 2017

Desvarios...

Sempre precisei do meu espaço. Momentos com nada e ninguém.

Ultimamente, no meu nada e ninguém, apareces tu...

Umas vezes chegas de mansinho e sem dar por isso, já o nada és tu.

Outras, vens num turbilhão. Chegas e, do nada és o meu ninguém.

Hoje as saudades apertam imenso.

Tanto.

Chegam como as agitadas ondas do mar. Gigantes...

e nelas me sinto a afogar...


Ana Paula Ribeiro 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Diga o que pensa!