quinta-feira, 6 de outubro de 2016

Nunca me identifiquei tanto com um texto...

...e acrescento, sem nunca pensar vir a dizer isto: obrigada por me teres deixado...

“É claro que senti saudades tuas. Sentia saudades tuas quando acordava e troquei muitas horas de sono por uma perseguição infernal às tuas redes sociais, só para te ver e saber que estavas bem.

É claro que sentia amor enquanto chorava agarrada à almofada e procurava maneiras de te fazer voltar à minha vida. É claro que senti que ia morrer. E morri. Morri no dia em que me deixaste.
(…) Deixei-me cair, não tive forças para te seguir. (…) Deixaste-me presa num buraco do qual não conseguia sair, sabes? (…) 

É claro que a tua ausência me doía todos os dias (…).

Como conseguiste seguir a tua vida se eu não conseguia sequer seguir a minha respiração? (…) Vivi para ti e para as saudades que sentia, vivia para ti e para a dor que sentia. (…).

Vivi para ti até que percebi que não havia ninguém a viver por mim.

Decidi ser feliz, e sou. Achas que não custou o percurso até aqui? 
Acredita que morri pelo menos dez vezes no caminho. 
Mas aprendi que o melhor da morte é renascer, (…).

Não é errado morrer, foi errado morrer por ti.

A tua vida continuou e a minha também. (…)

As saudades foram muitas, sabes? Mas percebi que não sentia saudades de ti, mas sim de mim! 

Por isso mudei a minha vida e deixei a dor de parte, fui à minha procura e quando me encontrei: foi o melhor momento de sempre. 

Também mereço ser feliz, desculpa!

De todas as vidas, escolho esta: sem ti, mas comigo!”

Frases extraídas de http://www.ela-e-ele.com/tambem-mereco-feliz-desculpa/

Sem comentários:

Enviar um comentário

Diga o que pensa!