sábado, 31 de julho de 2010

António Feio

Ontem de madrugada quando ouvi a notícia, senti um vazio enorme ... até agora ainda não tinha conseguido sequer falar como deve ser do assunto. Veio-me o sabor amargo de ter perdido duas pessoas muito importantes na minha vida que tb partiram como o António, por causa desse monstro.
Agora há pouco dei por mim a rir sosinha, porque me lembrei de uma das peças onde tão naturalmente (é assim para quem tem um dom) me fez rir à gargalhada. Costumo sentir, quando alguém querido parte, que só há sentido nessa partida, porque esse alguém é imprescindível "lá por cima".... imagino o António, rodeado dos meus queridos e de outros tantos queridos que riem à gargalhada como eu naquela noite no teatro.
Obrigada. Muito obrigada por ter partilhado o seu dom comigo e espero que um dia possamos voltar a rir à gargalhada ... fique em paz.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Diga o que pensa!